Os Nossos Projetos 

A Cidade da Participação atua em duas frentes indissociáveis, a frente social e a frente ambiental e do urbanismo. Face à realidade atual, que ultrapassa qualquer ficção, em que vemos um ataque cerrado ao património, natural e cultural, é urgente salvaguardar esse mesmo património, são urgentes as cidades verdes e sustentáveis, é urgente termos cidadãos informados do que se passa no seu município, na sua região e no seu país, criando assim sentido critico e abrindo o leque de opções. A coesão social e a sustentabilidade territorial são as frentes de trabalho desta associação, capacitando e mobilizando os seus cidadãos.

 

A Cidade da Participação incide sobre duas componentes – educação não formal, que é como quem diz partilhar conhecimento, aprendizagem mútua entre todos – e – participação pública ativa, participação essa que tanto pode ser formal (dentro dos canais convencionais do quadro legislativo), quanto informal (participação nos fóruns democráticos, na comunicação social, nas redes sociais ou na praça pública), na vertente reivindicativa (exigindo a preservação dos bem comum e os direitos dos cidadãos) ou propositiva (apresentando ideias, projetos ou sugestões de interesse comunitário).

 

No âmbito da sensibilização da sociedade civil Vamos fazer um apelo constante à participação informada dos cidadãos nos fóruns democráticos como as assembleias municipais, as assembleias de freguesia, junto das Câmaras Municipais e da Assembleia da República - através dos deputados eleitos pela região; seremos catalisadores do direito à participação através do exercício ao direito de petição, referendo ou ação popular; iremos ser impulsionadores do exercício do direito à denúncia junto das entidades fiscalizadoras competentes, sejam elas os Tribunais, ou as instituições de fiscalização como a CADA, o IGAMAOT, Provedoria de Justiça, etc... 

 

Fomentaremos a participação nos orçamentos participativos, nas consultas públicas no âmbito dos vários projetos e/ou políticas que requerem este procedimento para se poderem validar.

Seremos precursores da reivindicação cívica dentro do quadro legal existente e dentro das condicionantes, nomeadamente, da nova realidade de pandemia que atravessamos, da organização de petições sempre que tal se justificar ou de uma mera intervenção através de propostas escritas apresentadas dentro dos órgãos existentes.

ação-popular-1.png
Projeto Consultadoria Cívica

Estamos disponíveis para apoiar, aconselhar e eventualmente participar em ações cívicas propositivas ou reivindicativas, tais como, petições, reclamações, denúncias, etc. 

Estamos disponíveis para aconselhar a participação informada dos cidadãos nos fóruns democráticos como as assembleias municipais, as assembleias de freguesia, junto das Câmaras Municipais e da Assembleia da República, através do exercício ao direito de petição, referendo ou ação popular.

Estamos disponíveis para aconselhar e eventualmente participar no exercício do direito à denúncia junto das entidades fiscalizadoras competentes, sejam elas os Tribunais, ou as instituições de fiscalização como a CADA, o IGAMAOT, Provedoria de Justiça, etc

82386836_866169547133156_231573317214011
«Salvar as Alagoas Brancas»

 

Os cidadãos vão salvar as Alagoas Brancas com uma riqueza acentuada em habitats e em perigo iminente de destruição para a construção de grandes superfícies, com o consentimento da Autarquia de Lagoa.

 

Veja o estudo científico da Almargem (realizado em parceria com universidades) sobre esta zona húmida através do link: http://www.almargem.org/site/index.php?option=com_phocadownload&view=category&id=18:2019-06-03-09-30-01&Itemid=107

e consulte a página

"Salvar as Alagoas de Lagoa - Save the Alagoas of Lagoa"